terça-feira, 28 de julho de 2015

DEUS

DEUS faz.
Mas você pode colaborar.
 
Só DEUS pode criar,
Mas você pode valorizar o que Ele criou.
 
Só DEUS pode dar a fé.
Mas você pode dar o seu testemunho.
 
Só DEUS pode dar a paz.
Mas você pode semear a união.
 
Só DEUS pode dar a força.
Mas você pode apoiar quem desanimou.
 
Só DEUS pode infundir esperança.
Mas você pode restituir a confiança ao irmão.
 
Só DEUS pode dar o amor.
Mas você pode ensinar o seu irmão a amar.
 
Só DEUS pode dar alegria.
Mas você pode sorrir a todos.
 
Só DEUS é o caminho.
Mas você pode indicá-lo aos outros.
 
Só DEUS é luz.
Mas você pode faze-la brilhar no Mundo.
 
Só DEUS é a Vida.
Mas você pode dar aos outros a alegria de viver.
 
Só DEUS pode fazer o impossível.
Mas você poderá sempre fazer o que for possível.
 
Só DEUS pode fazer milagres.
Mas você pode fazer sacrifício.
 
Só DEUS pode fazer a semente do bem germinar.
Mas você pode plantá-la no coração humano.
 
Só DEUS se basta a si mesmo.
Mas...ELE preferiu contar com você.

O VALOR DO SORRISO

Um sorriso nada mais custa, mas vale muito e muito.
Enriquece quem o ganha e, quem o dá não fica pobre.
Dura apenas um instante, mas pode na lembrança durar eternamente.
Ninguém é rico assim que o possa desprezar, nem é tão miserável que o possa recusar.
Traz ao lar felicidade;nos negócios é esteio e é a prova mais palpável de uma profunda amizade.
Um sorriso dá repouso a quem se acha cansado e a quem está desanimado dá nova força e coragem;
consola na tristeza e em todas as nossas penas é o mais caseiro remédio.
Ninguém o compra, nem empresta, nem rouba, pois só vale no instante em que o damos livremente.
E se um dia encontrardes quem vos negue o seu sorriso, dai-lhe generoso o vosso,
pois ninguém precisa tanto do conforto de um sorriso,
como aquele pobrezinho que fechado em si, sozinho não aprendeu a dá-lo.

Pe. Glauco S.J.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

CARTA DE AGRADECIMENTO

Caros irmãos, amigos de fé!

É com muita alegria que me dirijo a todos, em meu nome e do Corpo Mediúnico da Casa Senhora do Carmo, para registrar os nossos agradecimentos pela participação amorosa de todos vocês no dia em que realizamos a mais importante festa de nossa Instituição, que é a comemoração do Dia de Nossa Senhora do Carmo, a nossa Padroeira.
Aproveitamos, também, para agradecer-lhes o carinho e a confiança com que têm nos tratado, além da ativa participação em todas as nossas atividades.
Realmente vocês nos fazem crer na verdadeira família, que é a Universal.

Recebam, de todos nós, o mais terno abraço.

Neste pequeno período, que envolve de 17 a 31 de julho, estaremos em recesso, todavia, lembramos que no dia 01 de agosto deste ano, sábado, a partir das 19:00 h, reiniciaremos as atividades da Casa para o próximo semestre e queremos dizer-lhes: Estaremos ansiosamente aguardando as suas presenças.

Fiquem todos com a Paz do Divino Criador!


Angela Cantarino











quarta-feira, 15 de julho de 2015

REFORMA ÍNTIMA - A CURA REAL

CURA INTERIOR

A Reforma Íntima é um processo contínuo de auto conhecimento,de conhecimento de nossa intimidade espiritual,modelando-nos progressivamente na vivência evangélica,em todos os sentidos da nossa existência. É a transformação do homem velho,carregado de tendências e erros seculares,no homem novo,atuante na implantação dos ensinamentos do Divino Mestre,dentro e fora de si.
Muitas vezes, a pessoa não consegue cura espiritual, sem antes passar por uma cura interior. 
Não trate apenas dos sintomas, tentando eliminá-los sem que a causa da enfermidade seja também extinta.
A cura real somente acontece do interior para o exterior!
Sim, diga a seu médico que você tem dor no peito, mas diga também que sua dor é dor de tristeza, é dor de angústia.
Conte a seu médico que você tem azia, mas descubra o motivo pelo qual você, com seu gênio, aumenta a produção de ácidos no estômago.
Relate que você tem diabetes.
No entanto, não se esqueça de dizer também que não está encontrando mais doçura em sua vida e que está muito difícil suportar o peso de suas frustrações.
Mencione que você sofre de enxaqueca, todavia confesse que padece com seu perfeccionismo, com a autocrítica, que é muito sensível à crítica alheia e demasiadamente ansioso.
Muitos querem se curar, mas poucos estão dispostos a neutralizar em si o ácido da calúnia, o veneno da inveja, o bacilo do pessimismo e o câncer do egoísmo.
Não querem mudar de vida:
Procuram a cura de um câncer, mas se recusam a abrir mão de uma simples mágoa.
Pretendem a desobstrução das artérias coronárias, mas querem continuar com o peito fechado pelo rancor e pela agressividade.
Almejam a cura de problemas oculares, todavia não retiram dos olhos a venda do criticismo e da maledicência.
Pedem a solução para a depressão, entretanto, não abrem mão do orgulho ferido e do forte sentimento de decepção em relação a perdas experimentadas.
Suplicam auxílio para os problemas de tireoide, mas não cuidam de suas frustrações e ressentimentos, não levantam a voz para expressarem suas legítimas necessidades.
Imploram a cura de um nódulo de mama, todavia, insistem em manter bloqueada a ternura e a afetividade por conta das feridas emocionais do passado.
Clamam pela intercessão divina, porém permanecem surdos aos gritos de socorro que partem de pessoas muito próximas de si mesmos.
Deus nos fala através de mil modos; a enfermidade é um deles e por certo, o principal recado que lhe chega da sabedoria divina é que está faltando mais amor e harmonia em sua vida.
Toda cura é sempre uma autocura e o Evangelho de Jesus é a farmácia onde encontraremos os remédios que nos curam por dentro. Há dois mil anos esses remédios estão à nossa disposição.
A cura interior é uma espécie de chave para a cura total da pessoa. Da mesma forma, sem a cura interior, não é possível ser curado fisicamente. 
E é através da oração íntima (meditação) que nos fortificamos numa relação íntima com o Criador.



COMEÇANDO O DIA



O homem acordou pela manhã e recordou-se de uma recomendação que tinha lido num livro de mensagens. A recomendação era a seguinte: “comece o dia na luz da oração. O amor de Deus nunca falha”.
Então iniciou sua oração dizendo: senhor, hoje, até o momento, me comportei bem.
Não fofoquei. Não me zanguei. Não fui ganancioso, mal-humorado, precipitado ou egoísta. Estou realmente satisfeito com isso.
Mas, em poucos minutos, senhor, vou me levantar, e daí em diante, provavelmente vou precisar de muito mais ajuda. Obrigado. 
Assim deve ser a nossa prece. Um diálogo franco com a divindade, expondo a intimidade da própria alma.
Não há necessidade de longas frases, nem de palavras ensaiadas. É o que a alma sente e deixa transbordar.
Um pedido simples, mas profundo. Um pedido de quem reconhece que a necessidade maior reside em si mesmo, nas suas deficiências morais. Um exame de consciência e um pedido de socorro.
A resposta é exatamente a fortaleza para vencer, gradativamente as dificuldades íntimas e ir vivendo melhor a cada dia, conquistando a paz.
Quem se devota ao trabalho, sem se ficar observando os defeitos alheios e muito menos comentando-os, semeia-se tranqüilidade no ambiente profissional.
Não se envolvendo nas teias do nervosismo, da inquietação, os problemas vão sendo solucionados um a um, na medida em que surjam.
Sem desejar possuir em demasia, usufruindo todos os prazeres que os bens terrenos oferecem, o homem se entrega às lutas do cotidiano, sereno e confiante.
Não se permitindo o mau-humor por coisa nenhuma, sejapor um contratempo no trânsito, um defeito mecânico no carro, um funcionário que não atende aos deveres. Desta formaa criatura distribui serenidade onde se encontra.
Sem precipitação, ouve o seu semelhante até o fim, antes de dar respostas que nem sempre atendem ao que o outro deseja.
Deixando de lado o egoísmo, o homem se sente feliz em compartilhar o que possui e se torna uma pessoa amiga e prestativa.
Compartilhar coisas pequenas, simples, como oferecer uma carona a um vizinho, emprestar um livro, indicar uma boa leitura.
Compartilhar o que detenhamos inclui os valores intrínsecos do ser, que tem a ver com a vida e os seus objetivos.
Portanto, compartilhe a sua certeza da existência de Deus, da imortalidade da alma com aqueles que se debatem no mundo, sem fé, sem rumo, sem objetivos.
E guarde a certeza de que, se você roga a Deus que o auxilie, ele estará com você, auxiliando-o nessas pequenas grandes auto-conquistas diárias, que somente redundarão em felicidade para você mesmo. 
*** 
Cada dia é um presente especial que Deus concede aos homens.
Cada dia é, de tal forma, único, que nunca se repete. Observe que o sol rompe a treva da noite, trazendo a manhã radiante, sempre com um novo colorido.
As flores de ontem não estão exatamente iguais hoje. As gotas da chuva que caem em abundância não são aquelas que rolaram em dias anteriores.
Tudo é novo a cada dia. Esta é a grande mensagem de Deus para os homens: a renovação da oportunidade de crescer, melhorar-se e ser feliz.
 
(Prece original em inglês, recebida Nova Zelândia)
FRATERNIDADE ESPIRITUALISTA SÃO FRANCISCO DE ASSIS - FESFARUA XV DE NOVEMBRO, 92 SALA 302 - CENTRO - NITERÓI

quinta-feira, 9 de julho de 2015

PLANEJAMENTO DIÁRIO

Nasceste no lar que precisavas,
Vestiste o corpo físico que merecias,
Moras onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com teu adiantamento.
Possuis os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades, nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas.
Teu ambiente de trabalho é o que elegeste espontaneamente para a tua realização.
Teus parentes, amigos são as almas que atraístes, com a tua própria afinidade.
Portanto, teu destino está constantemente sob teu controle.
Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas, modificas tudo aquilo que te rodeia a existência.
Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes…

São as fontes de atração e repulsão na tua jornada.
Não reclames, nem te faças de vítima.
Antes de tudo, analisa e observa.
A mudança está em tuas mãos.
Reprograma tua meta, busca o bem e viverás melhor.
Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.

Benção do Chico!
Francisco Cândido Xavier

PACIÊNCIA


Paciência, uma virtude a ser estudada: Todos necessitamos de paciência, uns para com os outros, mas compete-nos igualmente a todos estudar a paciência em sua função socioeducativa, para o nosso próprio benefício.


Paciência!




É serenidade; calma, porém, não é aprovação ao desequilíbrio.
É compreensão; entendimentos, no entanto, não é passaporte ao abuso.
É harmonização; ajuste, todavia, não é apoio à delinquência e aos desvios de conduta.
É tolerância; brandura, entretanto, não é coonestação com o erro deliberado.
Paciência, sobretudo, é a capacidade de verificar a dificuldade ou o desacerto nas engrenagens do cotidiano, buscando a solução do problema ou a transposição do obstáculo, sem toques de alarde e sem farpas de irritação.
Em todos os aspectos da paciência, recordemos Jesus.
O Mestre foi, no mundo, o paradigma de semelhante virtude, mas, não foi conformista. Nunca se apassivou diante do mal, conquanto lhe suportasse as manifestações, diligenciando meios de tudo renovar para o bem; e, em Lhe lembrando a sinceridade e a franqueza, não nos será lícito esquecer que o Cristo se revelou tão paciente que não hesitou em regressar, depois da morte física, ao convívio das criaturas humanas que o haviam abandonado. Ainda assim, é forçoso reconhecer que Ele se materializou perante os discípulos que, em maioria, podiam ser iletrados e medrosos, mas suficientemente sinceros para continuar Lhe a obra libertadora, mesmo perseguidos pelos romanos, e não diante dos fariseus, altamente intelectualizados e profundos conhecedores das revelações divinas, mas habitualmente atolados em conveniências e preconceitos, e por isso mesmo, capazes de omitir a verdade e estabelecer a perturbação.
Medite bem sobre essas palavras.



Pai Tomé 
Através do médium Arnaldo Querci, São Paulo em 07/03/15













quinta-feira, 2 de julho de 2015

CELEBRAÇÃO PARA NOSSA PADROEIRA!




























A PEQUENA E GRANDE HISTÓRIA DA NOSSA PADROEIRA

Os ermitões que viviam encafuados nas cavernas do Monte Carmelo, foragidos dos sarracenos e muçulmanos, receberam o nome de carmelitas e foram nos primeiros séculos rebentos maravilhosos de penitência e caridade, exemplos de amor a Deus. E tanto mais impressionantes quanto o seu ambiente, era a aridez incrível de um deserto espiritual, onde os corações mais pareciam blocos de pedras, sempre fechados a todo orvalho da Graça Divina. Nos meados do século XIII, São Luiz, Rei de França, voltando da Palestina, trouxe-os para a França, dando-lhes um convento, a uma légua perto de Marselha. Alguns passaram à Inglaterra. O inglês Simão Stoch, que havia vivido 20 anos no tronco de uma árvore, encantado com a vida mortificada dos carmelitas, entrou na Ordem.

A festa de Nossa Senhora do Carmo foi instituída para celebrar uma graça insigne recebida por Simão Stoch. Em 1245, Simão tinha sido eleito Superior-geral. A Ordem sofreu muitas perseguições.

No dia 16 de julho de 1251, à noite, Simão, em fervorosa oração, pedia a Nossa Senhora que desse um sinal de sua proteção à Ordem do Carmo. Ao raiar da aurora, Maria Santíssima lhe aparece, acompanhada de anjos, envolta de uma luz brilhante, vestindo o hábito do Carmelo, e trazendo em uma das mãos o Escapulário. Aproximando-se de Simão e lho entregando, diz-lhe: “Eis aqui um privilégio para ti e para todos os carmelitas. Quem morrer vestido deste escapulário, estará livre das penas eternas”. 

Muitos milagres fez São Simão para confirmar essa visão: O livramento do purgatório, no primeiro sábado após a morte dos irmãos do Carmo, que foram fiéis ao espírito e às regras do Carmelo.

Copilado do Jornal da Casa Senhora do Carmo de outubro de 1995, 2ª edição.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

MENSAGEM DO ESPÍRITO EURÍPEDES BARSANULFO

Diante dessa crise : “Irmãos queridos: Diante dessa crise que se abate sobre o nosso povo, face a essa onda de pessimismo que toma conta dos brasileiros, frente aos embates que o país atravessa, nós, os seus companheiros, trazemos na noite de hoje a nossa mensagem de fé, de coragem e de estímulo. Estamos irradiando-a para todas as reuniões mediúnicas que estão sendo realizadas neste instante, de norte a sul do Brasil. Durante vários dias estaremos repetindo a nossa palavra, a fim de que maior número de médiuns possa captá-la. Cada um destes que sintonizar nesta faixa vibratória dará a sua interpretação, de acordo com o entendimento e a gradação que lhe forem peculiares. Estamos convidando todos os espíritas para se engajarem nesta campanha. Há urgente necessidade de que a fé, a esperança e o otimismo renasçam nos corações. A onda de pessimismo, de descrédito e de desalento é tão grande que, mesmo aqueles que estão bem intencionados e aspirando realizar algo de construtivo e útil para o país, em qualquer nível, veem-se tolhidos em seus propósitos, sufocados nos seus anseios, esbarrando em barreiras quase intransponíveis. É preciso modificar esse clima espiritual. É imperioso que o sopro renovador de confiança, de fé nos altos destinos de nossa nação, varra para longe os miasmas do desalento e do desânimo. É necessário abrir clareiras e espaços para que brilhe a luz da esperança. Somente através de esperança conseguiremos, de novo, arregimentar as forças de nosso povo sofrido e cansado. Os espíritas não devem engrossar as fileiras do desalento. Temos o dever inadiável de transmitir coragem, infundir ânimo, reaquecer esperanças e despertar a fé! Ah! a fé no nosso futuro! A certeza de que estamos destinados a uma nobre missão no concerto dos povos, mas que a nossa vacilação, a nossa incúria podem retardar. Responsabilidade nossa. Tarefa nossa. Estamos cientes de tudo isto e nos deixamos levar pelo desânimo, este vírus de perigo inimaginável. O desânimo e seus companheiros, o desalento, a descrença, a incerteza, o pessimismo, andam juntos e contagiam muito sutilmente, enfraquecendo o indivíduo, os grupos, a própria comunidade. São como o cupim a corroer, no silêncio, as estruturas. Não raras vezes, insuflado por mentes em desalinho, por inimigos do progresso, por agentes do caos, esse vírus se expande e se alastra, por contágio, derrotando o ser humano antes da luta. Diante desse quadro de forças negativas, tornam-se muito difíceis quaisquer reações. Portanto, cabe aos espíritas o dever de lutar pela transformação deste estado geral. Que cada Centro, cada grupo, cada reunião promova nossa campanha. Que haja uma renovação dessa psicosfera sombria e que as pessoas realmente sofredoras e abatidas pelas provações, encontrem em nossas Casas um clima de paz, de otimismo e de esperança! Que vocês levem a nossa palavra a toda parte. Aqueles que possam fazê-lo, transmitam-na através dos meios de comunicação. Precisamos contagiar o nosso Movimento com estas forças positivas, a fim de ajudarmos efetivamente o nosso país a crescer e a caminhar no rumo do progresso. São essas forças que impelem o indivíduo ao trabalho, a acreditar em si mesmo, no seu próprio valor e capacidade. São essas forças que o levam a crer e lutar por um futuro melhor. Meus irmãos, o mundo não é uma nau à matroca. Nós sabemos que “Jesus está no leme!” e que não iremos soçobrar. Basta de dúvidas e incertezas que somente retardam o avanço e prejudicam o trabalho. Sejamos solidários, sim, com a dor de nosso próximo. Façamos por ele o que estiver ao nosso alcance. Temos o dever indeclinável de fazê-lo, sobretudo transmitindo o esclarecimento que a Doutrina Espírita proporciona. Mas também, que a solidariedade exista em nossas fileiras, para que prossigamos no trabalho abençoado, unidos e confiantes na preparação do futuro de paz por todos almejado. E não esqueçamos de que, se o Brasil “é o coração do mundo”, somente será a “Pátria do Evangelho” se este Evangelho estiver sendo sentido e vivido por cada um de nós”. “Deus assiste aqueles que agem e não aqueles que se limitam a pedir”’. 

Sita fonte: S0MOS TODOS, UM ! 
Autor: Eurípedes Barsanulfo 
Medium: Suely Caldas Schuber Share Previous