quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Passai as mãos em vossas fontes.
Se sentires rugas e suor, bendigas ao Pai por isto.
Se ao contrário, nada perceberdes, também bendiga ao Pai.
Qual a diferença? Certamente perguntareis. E eu vos direi: Para primeiro, o agradecimento ao Pai deve-se ao fato de compreenderdes a bondade Divina de dar-nos a oportunidade do trabalho gratificante e por teres, a esta, aproveitado.
Quanto ao segundo? Muito simples o é. Trata-se de o Pai, ter-nos alertado para o não aproveitamento de vossas chances e de nossas oportunidades para o trabalho.
Vejais o quanto é bom o nosso Pai.
Aproveitai as oportunidades de dignificação própria e de elevação espiritual.
Bem aventurados aqueles que se afligem ao detectar sua própria pequenez, pois estes serão os primeiros a corrigirem-se.
Bênçãos do Pai eu vos desejo.

Pe. Luiz de Sá de Nazareth Almeida
Bisto de Portugual e de Tortuga, 1865.
Irmão Lucas da Fraternidade de São Sebastião do Casario.

­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­ Mensagem de 01.11.2009
Psicografia de Angela Cantarino