quinta-feira, 16 de outubro de 2014

OS “COVARDES” DO CAMINHO

Covardia é sinônimo de medo. 
E o medo é um dos sentimentos mais tristes que pode acometer a uma pessoa.
Existem pessoas que recebem uma missão de gerir, mesmo que pequenas coisas. As aceitam até que se apresentem os problemas. Então, por medo, iniciam um pequeno processo de arrependimento pela função aceita e permanecem, silenciosamente, a aguardar oportunidade para pedir afastamento.
Como agem? E como aguardam?
Simples!

Apenas permanecem com suas posturas, aparentemente, equilibradas, mas, aguardando que alguém possa se manifestar contrário às situações que surgem. Então, pensam: “Que ótimo, aí está o que eu esperava. Solicitarei o meu afastamento, e direi que este se deve a fulano, que me criou problemas e, então resolvi sair para não me aborrecer mais”.

E, assim têm agido os “pequenos covardes” do Caminho: É mais fácil colocar sobre os ombros alheios, a responsabilidade por sua decisão.
Então, passam a divulgar esta “sua verdade”, sem se aperceber da responsabilidade que acaba por debitar na conta de outrem.

Caros filhos de meu coração, procurem estar atentos às suas atitudes, decisões e escolhas. Compreendam que qualquer responsabilidade que lhes possam cair nas mãos, são instrumentos do Pai a lhes oferecer oportunidade de crescimento e de desenvolvimento moral e espiritual.

Ao assumir qualquer função, seja ela de qualquer porte ou envergadura, sempre lhe será uma grande oportunidade para, agindo com brandura, seriedade, compromisso e fraternidade, cumprir mais uma missão de contribuição para o progresso do coletivo.

Todos são importantes, todas as funções são vitais, todas as ações decorrentes destas envergaduras, são elementos de crescimento. Portanto, atente para as suas próprias atitudes, assuma, com o coração limpo de brios, as determinações da Vida e, cumpra com amor a missão que lhe recai às mãos.

Não pare no meio do caminho. E, não debite na conta de outros, as suas decisões de “saída” do processo. Assuma-se e diga: Não desejo mais continuar, porque sinto-me incapaz de lidar com as adversidades. Apenas isto!

Amados filhos, o tempo deste Planeta e de seus filhos, está a concluir e, já se faz urgente as devidas mudanças de suas escolhas, às vezes, bastante equivocadas.

O tempo agora é de caminhar unidos para bem de todos e para construir um futuro melhor para todos.
Não se deixe pelo caminho!
Não retire de si, as oportunidades que a Vida lhe oferece!
Não culpem a ninguém, por suas próprias dificuldades e limitações.

As pessoas lhes vêm, da mesma forma que você se vê e, as pessoas lhes colocam, no lugar, exatamente naquele em que você mesmo se coloca.
Portanto, se deseja ser visto e inserido em posições melhores e de respeito, coloque-se neste patamar, contudo, sem vaidade, sem orgulho e sem atos de covardia, não transferindo a outros, as suas próprias limitações.

O Pai Mãe Criadores está sempre a amparar a todos, saiba agradecer-Lhe, aprendendo a cumprir o seu próprio caminho com segurança, fé, amor ao próximo e, principalmente, se inserindo no rol dos vencedores. Sim, vencedores, sobre si mesmo, sobre as suas próprias limitações e, porque não dizer, sua própria covardia.

Que as bênçãos de Senhora do Carmo, lhes cubram de paz e de serenidade!
                                                                                                            
Che anga Orô nderessé. (*)

                                                                                                                             Tibiriçá.
(*) MINHA ALMA FOGE PARA VOCÊ.